Feliz 2021!

Publicado em 30/12/2020, às 17:12
Olá, Paz e bem! Como você estar? Companheiros mais uma vez chegamos em dezembro e não me chocaria se você me dissesse que tem a sensação de que 2020 durou muito mais que 365 dias, especialmente para àqueles professores que se dedicaram integralmente às aulas remotas, on-line, entre outras. Sei que muitos ensinaram tanto, mudaram suas práticas, suas vidas e se reinventaram de tal forma que muitas vezes se lembraram com saudades das aulas presenciais: o quão era bom! Você provavelmente teve suas turmas digitalizadas, as salas de aula transformadas em chamadas de vídeo; atividades em grupo viraram tarefas individuais e à distância, sua casa se transformando em seu local de trabalho. Quero lembrar que todo aluno tem o direito fundamental de aprender. E a pandemia foi um desafio nesse processo. Quero, pois, propor a todos nós e a cada um em particular uma reflexão profunda sobre esse tema para tentarmos traçar possíveis caminhos. Nesta jornada da Educação em Caxias, no Maranhão, no Brasil e no Mundo, buscamos orientar, traçar diretrizes, promover, ajudar e acompanhar a prática do professor, o desempenho dos estudantes e sua própria autoavaliação. A SEMECT/Caixas, constituiu o Comitê Gestor Educ@ção para orientar nossa ação durante a pandemia COVID-19. Especialistas em avaliação, currículo, planejamento foram ouvidos a fim de entender a complexidade do tema e muní-los de conteúdos e informações. Concluí que ainda é cedo para dizer que há um consenso - uma vez que a individualidade do aluno e a disparidade de realidades não podem ser deixadas de lado. Entretanto posso afirmar que o que mais ouvi é que o ideal seria sequer cogitar a reprovação em 2020. Sei que o ensino remoto não chegou para todos e, mesmo para quem chegou, não foi com igual qualidade. Pois bem, considerando as diferentes realidades e olhando para a acentuada desigualdade já tão grande no Brasil, reitero, que para nós essa premissa não nos envergonha, pelo contrário nos provoca a repensar e pensar políticas públicas que venham atender essas mesmas necessidades. O que vimos na pandemia é que as diferenças socioeconômicas e a falta de oportunidades, que sempre existiram, ficaram mais sob os holofotes sociais. Já pensando futuramente, havemos que reverter os riscos para além das perdas de aprendizagens, minimizar a evasão escolar e o distanciamento das escolas - que são decorrentes do isolamento social. Em outubro, o CNE (Conselho Nacional de Educação) aprovou a continuidade do ensino remoto até dezembro de 2021, se essa for uma escolha da rede de ensino, e autorizou a adoção de um ?continuum curricular-escolar? que ajudaria a preencher as lacunas que ficaram - solução bem vista pelos profissionais especialistas, mestres e doutores da SEMECT e ainda pelo CME que ouvimos e que vai ao encontro da recuperação da aprendizagem sem necessidade de reprovação. Para nós, é claro que a recuperação da aprendizagem levará tempo e não acontecerá no curto prazo. Será necessário um trabalho forte e em conjunto entre professores, gestão escolar e redes, porque não podemos ficar sozinhos nessa. Então, se pudermos tirar algo bom disso, professor, é que até lá, podemos fazer muito! Quero mais uma vez conclamar a todos os educadores, professores, aqueles que ensinam e educam a se estruturarem mais ainda com materiais, ideias, metodologias, formas, desempenho e dedicação. Se reinventar em plena pandemia; somente nós, professores somos capazes! O que mais podemos fazer? Pensemos em qual contexto nossos estudantes vivem e que também pode ensinar muito. Compreender quais outros aspectos o aluno pode estar desenvolvendo. Por exemplo: as compras do supermercado, as frações de ingredientes ao cozinhar, idas à feira, entre outras. Aqui também vale prever atividades que incluam a família. Sabe aquele planejamento que você fez para 2020 e não conseguiu realizar? Faça uma revisão! Vale a pena resgatar seus materiais, olhá-los frente à nova realidade e descobrir: de quais outras formas é possível passar o conteúdo? Quero ainda finalizar essa mensagem dizendo que não inventaram nada que substitua a troca de experiencias entre professores. Aquilo que deu certo para você, pode ajudar o colega. Desde já, quero desejar um 2021 muito próspero, cheio de realizações e, claro, muita saúde para todos nós! Que o Ano Novo que se aproxima seja uma porta aberta para sonhos, renovações de fé e muita paz para o nosso mundo. Feliz 2021!